Novos medicamentos estimuladores do sistema imunológico aumentam a sobrevida e cura de pessoas com câncer de pulmão e melanoma – #Nivolumab e #Pembrolizumab.

Para que um câncer possa se desenvolver ele precisa adquirir algumas características. Em um estudo famoso, o o biólogo e pesquisador, Douglas Hanahan e seus colegas revisitaram os estudos na área da oncologia e descreveram seis dessas características (clique aqui para ver uma matéria sobre essas características). Isto foi importante porque hoje a ciência pode estudar e compreender melhor esses mecanismos, assim como desenvolver tratamentos para cada um deles.

Uma das características mais importantes do câncer é sua capacidade de escapar do sistema imunológico. Apesar de a célula cancerosa ser doente, ela ainda guarda semelhanças com as células normais do corpo e usa essa característica como uma espécie de disfarce para enganar o sistema imunológico – e assim não ser atacada por ele. Duas novas classes de medicamentos prometem acabar com esse disfarce e aumentar a capacidade do sistema imunológico de combater o câncer, são os inibidores de CTLA4 (Ipilimumab, nome comercial Yervoy) e os inibidores de PD1 (Pembrolizumab e Nivolumab, nomes comerciais Keytruda e Opdivo respectivamente).

Na resposta imunológica normal, as células de defesa se ativam enquanto atacam as bactérias ou vírus, e depois se desligam quando a infecção está controlada. Esses três medicamentos agem impedindo que a célula de defesa se desligue, mantendo assim um ataque constante. Acredita-se que esse efeito faz com que o sistema imunológico reconheça o câncer e se organize para combatê-lo.

Nesta imagem de microscópio uma célula de defesa (abaixo) ataca uma célula cancerosa (acima).
Nesta imagem de microscópio uma célula de defesa (abaixo) ataca uma célula cancerosa (acima).

Os estudos foram feitos com pessoas que teriam poucas opções de tratamento com quimioterapia, como no câncer de pulmão avançado, em que já houve falha a tratamentos anteriores; e no melanoma, um tipo agressivo de câncer de pele que sabidamente responde mal ao tratamento com quimioterapia.

Em pessoas com câncer de pulmão do tipo escamoso, Nivolumab foi muito superior ao tratamento convencional com quimioterapia além de ter uma tolerabilidade maior. Isso significa que estimular o sistema imunológico aumenta o controle nesse tipo de câncer de pulmão e causa menos efeitos colaterais. Pembrolizumab, um medicamento da mesma classe, foi usado em pessoas com câncer de pulmão avançado e também mostrou aumento do controle da doença e redução dos tumores.

Até 2011 não havia boas opções de tratamento para pessoas com melanoma. De lá para cá, diversos medicamentos foram desenvolvidos, sendo alguns dos mais importantes os estimuladores do sistema imunológico. Ipilimumab foi o primeiro medicamento dessa classe que se mostrou eficaz em aumentar o tempo de controle de doença em pessoas com melanoma metastático (quando a doença está espalhada pelo corpo). Um estudo recente sugere que ele possa também aumentar a chance de cura quando administradodepois da retirada cirúrgica desse câncer – este estudo ainda está em andamento. O problema desse remédio é seu perfil de toxicidade, pois como o sistema imunológico fica muito ativado pode haver fenômenos de autoimunidade, quando o próprio sistema imune ataca partes normais do corpo.

A classe de medicamentos anti PD1 parece não só ser mais eficaz no controle do melanoma que o Ipilimumab como também ter um melhor perfil de efeitos colaterais. Em estudos iniciais a combinação de Nivolumab com Ipilimumab se mostrou muito superior ao Ipilimumab administrado sozinho. Pembrolizumab foi comparado a Ipilimumab e também se mostrou superior no controle da doença em pessoas com melanoma metastático, assim como tendo efeitos colaterais mais fáceis de ser tolerados.

Os três medicamentos receberam aprovação nos Estados Unidos para o tratamento do câncer de pulmão e melanoma (eu sempre coloco os dados dos Estados Unidos porque os medicamentos são aprovados antes lá). Outros estudos sugerem que esses medicamentos possam ser úteis em diversas outras doenças, como o câncer de mama triplo negativo, câncer de mama HER2 positivo e tumores do sistema nervoso central.

A primeira aprovação de um medicamento estimulador do sistema imunológico aconteceu em 2011, com o Ipilimumab. Nos últimos quatro anos outras duas medicações foram aprovadas. Este é um campo promissor de medicamentos, que estamos apenas começando a entender. Esperamos que muitas outras descobertas de medicamentos aconteçam nessa área.

Gostou da matéria? Visite aqui nossa página no Facebook e confira todos os posts. Não esqueça de curtir a página para saber de todas as atualizações do blog!

Anúncios

Uma consideração sobre “Novos medicamentos estimuladores do sistema imunológico aumentam a sobrevida e cura de pessoas com câncer de pulmão e melanoma – #Nivolumab e #Pembrolizumab.”

  1. Dr felipe,

    como seguidora fiel de seu blog estou feliz com a descoberta e uso de novos medicamamentos . Vamos torcer que sejam eficazes e sem efeitos colaterais abusivos.

    bjs Lo

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s